Economia Criativa e o seu poder na nossa sociedade

0
45

Muito se fala sobre a Economia Criativa e os benefícios que gera para a economia global, principalmente nos países mais desenvolvidos e que possuem maior poder para investir no segmento. Mas o que é e qual a importância para a nossa sociedade? Afinal, no Brasil, é uma área que vem crescendo bastante, ano após ano, impactando positivamente a vida de milhares de profissionais.

Em um conceito mais amplo do termo, a Economia Criativa é o uso da própria criatividade como recurso para gerar valor econômico, social e cultural. É a criação de modelos de negócio que se originam a partir de atividades criativas, gerando trabalho e renda. Tudo o que mais importa pra quem vive ou quer viver de criatividade.

Apesar de abranger diversas áreas da arte e do entretenimento, como artes visuais, música, cinema, teatro, literatura, design, moda etc., a Economia Criativa consegue ser muito maior que isso. Engloba, principalmente, tecnologia, inovação, cultura, inclusão social e sustentabilidade, fazendo com que o setor criativo se transforme num importante polo formador de novos empregos, empresas, produtos e serviços.

Pensando por esse lado, a criatividade tem um papel fundamental e indispensável para qualquer país, movendo as maiores economias mundiais, principalmente por sempre ter em sua base 4 princípios. O primeiro deles é a Diversidade Cultural, que passa a ser mais valorizada, com negócios e empresas que precisam disso para serem cada vez mais criativos nos seus mercados de trabalho.

O segundo princípio é a inclusão social, garantindo a integração da população em situação de vulnerabilidade, por meio da formação e qualificação profissional, gerando mais oportunidades de trabalho.

Na continuação, vem a sustentabilidade, com uma função importantíssima de promover o desenvolvimento de todo o território e de seus habitantes, fazendo com que a Economia Criativa garanta a sustentabilidade ambiental, social, cultural e econômica.

E, por último, a inovação, fomentando suas práticas em todos os setores da criatividade, em especial naqueles cujos produtos são frutos da integração entre novas tecnologias e conteúdos culturais.

Isso é a Economia Criativa! É a base para quem busca seu sustento através da criatividade. Mas, apesar disso tudo, não serve de nada se não temos um governo que invista nisso. Por isso, precisamos que o tema seja sempre valorizado, para que cada vez mais pessoas possam viver da sua criatividade, e que seja almejada como um sonho de criança do que quer fazer no futuro e não apenas uma consequência da vida.

Artigo publicado originalmente no portal A Crítica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui