Tenente-coronel do Exército é investigado em operação Jurupari, da PF, sobre garimpo ilegal

Desde o início da manhã desta terça-feira (27), a Polícia Federal deflagra a Operação Jurupari, que tem como alvos pessoas e empresas envolvidas com garimpos ilegais no Amazonas.

A ação tem o objetivo de combater crimes de usurpação de bem público da União, crime ambiental de extração de bem mineral sem autorização do órgão responsável, organização criminosa e lavagem de capitais.

A operação cumpre três mandados de prisão e oito de busca e apreensão em Manaus, em Porto Velho, em Rondônia e em Ponta Grossa, no Paraná.

De acordo com a Polícia Federal, além de empresários, um dos investigados é um tenente-coronel do exército que não teve o nome divulgado. A esposa do militar também fazia parte da organização criminosa e recebia valores em nome dos suspeitos.

Outros militares suspeitos de participação nos esquemas também são investigados. Segundo a PF, o grupo recebia propinas de empresários e um era o responsável por repassar informações antecipadas sobre operações que seriam deflagradas no estado, sobretudo na região de Juruá.

Ao todo, são 20 policiais federais e 10 militares do Exército Brasileiro mobilizando a ação. Além dos mandados, foi determinado o bloqueio de bens e valores das pessoas físicas e jurídicas investigadas, e sequestro de bens móveis e imóveis.

A ação é o resultado de atuações criminosas apuradas no período de 2020 a 2023 e que ainda persistem. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui