Série documental mostra os 50 anos de Gilberto Braga, na teledramaturgia

BRASIL – Com três episódios, a série documental “Gilberto Braga: Meu Nome é Novela” estreou essa semana, na plataforma Globoplay. O autor de teledramaturgia morreu em outubro desse ano e a produção contou com participações como Gloria Pires e Malu Mader, atrizes de grandes sucessos de Gilberto Braga.

Imagens de arquivos das novelas, como Vale Tudo (1988), Celebridade (2003) e Paraíso Tropical (2007), se misturam às entrevistas concedidas pelo autor, atrizes e atores que tiveram papeis de destaque. É o caso do clássico enigma de “Quem matou Odete Roitman?”, vilã que foi interpretada por Beatriz Segall.

A diretora da série, Antônia Prado, contou, em entrevista ao Gshow, que o público vai poder acompanhar os 50 anos de trabalho e legado deixado pelo autor para a televisão brasileira. “É uma grande homenagem à obra e à história do Gilberto Braga, responsável por mudar a maneira como fazemos e assistimos às novelas no país. O público terá a oportunidade de acompanhar seus 50 anos de trabalho e (re)conhecer o legado que deixou para a televisão brasileira”, explicou a diretora.

Participações

A série traz ainda depoimentos de Antônio Fagundes, Cássia Kiss, Dennis Carvalho, Renata Sorrah, Claudia Abreu, Deborah Evelyn e Lucélia Santos.

“Podíamos escolher muitas pessoas para participar, porque o Gilberto Braga impactou a carreira e a vida de quase todos os talentos da TV Globo, mas acabamos optando pelos que foram mais importantes na trajetória do autor. Escolhemos quem pudessem falar sobre Gilberto Braga de diferentes formas e pontos de vista, para nos ajudarem a contar todos os 50 anos de obras televisivas e também histórias da vida particular dele”, finalizou Antonia.

*Com informações do Gshow

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui