NOVO CARDEAL: Dom Leonardo diz que nomeação é mostra de apreço do Papa Francisco pela Amazônia

Dom Leonardo é arcebispo de Manaus desde janeiro de 2020 e continuará com essa missão. FOTO: Reprodução.

DA REDAÇÃO

MANAUS – | A comunidade católica de Manaus e da Região Metropolita foi gratamente surpreendida, na manhã de domingo (29), pelo anúncio feito pelo Papa Francisco, da ascensão do arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner, à condição de cardeal. Como tal, será auxiliar do Papa na condução da Igreja Católica em todo o mundo.
O nome de Dom Leonardo foi divulgado juntamente com os dos novos cardeais que serão criados no Consistório, a ter lugar em 27 de agosto próximo. Entre eles, o também brasileiro Dom Paulo Cezar Costa, de Brasília. “Rezemos pelos novos cardeais para que, confirmando a sua adesão a Cristo, me ajudem no meu ministério de Bispo de Roma para o bem de todo o fiel Povo Santo de Deus”, disse o papa, após o anúncio.

O próprio Dom Leonardo se disse surpreso e revelou que o Papa Francisco não costuma antecipar esse tipo de informação. “É uma alegria para a Amazônia. Essa nomeação não diz respeito a minha pessoa, mas ao grande carinho que o Papa tem pela Amazônia e pelas igrejas que estão na Amazônia e com essa nomeação ele demonstra o quanto está próximo das nossas igrejas. É por isso que nos alegramos”, disse durante entrevista concedida na manhã desta segunda-feira, na sede da Arquidiocese de Manaus.

Essa alegria, segundo o futuro cardeal, é o que está presente em todas as mensagens que ele vem recebendo, desde que o anúncio foi feito, no domingo. “Esse é o tom que temos recebido. A alegria, porque a Amazônia não foi esquecida. “O papa está olhando para a periferia, para onde a igreja pode ir construindo a sua história”, disse, destacando como exemplo a nomeação do jovem bispo Dom Giorgio Marengo, da Mongólia, onde existem pouco mais de 2 mil católicos.

Dom Leonardo não deixará o cargo de arcebispo metropolitano de Manaus e irá assumir as novas responsabilidades de cardeal e às missões que lhe forem incumbidas pelo Papa concomitantemente às de arcebispo, incluindo algumas viagens que deverá fazer tanto ao Vaticano quanto aos locais que o levarem suas novas missões.

Dom Leonardo, ao lado do Pe. Zenildo Lima, durante coletiva na manhã de hoje. FOTO: Divulgação/Arquediocese.

Antes de sua nomeação, em agosto, Dom Leonardo irá ao Vaticano, na segunda quinzena de junho, juntamente com os bispos de 9 dioceses e prelasias do regional norte 1 (Amazonas e Roraima), para a visita ‘ad limina Apostolorum’, aos túmulos dos apóstolos Pedro e Paulo, na Diocese de Roma. A visita está prevista no Código de Direito Canônico e deve ser realizada a cada cinco anos. Durante esse evento, Dom Leonardo deverá ter um breve encontro com o Papa Francisco.

Histórico – Dom Leonardo Ulrich Steiner nasceu no dia 6 de novembro de 1950 em Forquilhinha (SC). Ingressou na Ordem dos Frades Menores (OFM) no dia 20 de janeiro de 1972, quando foi admitido no Noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Foi ordenado padre pelas mãos do Cardeal dom Paulo Evaristo Arns, seu primo, em 1978.

Dom Leonardo assumiu trabalhos na área da educação, compondo os quadros de professores das suas casas de formação. É formado em Pedagogia e Mestre em Doutor em Filosofia pelo Pontifício Ateneu Antoniano, em Roma. No mesmo Ateneu, exerceu o cargo de secretário geral.

De volta ao Brasil, frei Ulrich foi nomeado vigário da paróquia do Senhor Bom Jesus, Curitiba (PR), onde também passou a lecionar na Faculdade de Filosofia São Boaventura.

Dom Leonardo Steiner foi nomeado bispo em 2 de fevereiro de 2005 pelo Papa João Paulo II para a Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), sucedendo a Dom Pedro Casaldáliga. Foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e vice-presidente do regional Oeste 2 da entidade.

No dia 10 de maio de 2011 foi eleito secretário-geral da CNBB, durante a 49ª Assembleia Geral. Em 21 de setembro daquele ano, o Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da Arquidiocese de Brasília (DF).

Dom Leonardo foi eleito como membro delegado pela CNBB para participar como padre sinodal da 13.ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, realizada em Roma, de 7 a 28 de outubro de 2012, com o tema “A Nova Evangelização para a transmissão da fé cristã”.

No dia 20 de abril de 2015, foi reeleito secretário-geral da CNBB. Ao lado do cardeal Dom Sergio da Rocha e de Dom Murilo Krieger, Dom Leonardo mobilizou toda a Igreja no Brasil para a reforma da sede nacional da CNBB, em Brasília. Seu mandato foi concluído no dia 10 de maio de 2019. Ele tomou posse como arcebispo de Manaus em janeiro de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui