No Amazonas, multas por crimes ambientais crescem 19,5% nos primeiros meses de 2023

Foto: Divulgação/Ipaam
Foto: Divulgação/Ipaam

De janeiro a abril deste ano, as multas por crimes ambientais aplicadas no Amazonas registraram aumento de 19,5% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

De acordo com o levantamento, foram aplicadas 104 multas que somaram R$ 62,6 milhões em penalidades. No mesmo período de 2022, o total foi de 87 multas, que chegaram a R$ 44,9 milhões.

O desmatamento foi o crime mais registrado no estado este ano. Ao todo, foram aplicadas 86 multas, que totalizaram a soma de R$ 59,7 milhões.

Conforme os indicadores do Ipaam, abril foi o mês com mais registro de punições, com 37 no total. Lábrea é o município com o maior número de ocorrências no Amazonas, somando, ao todo, R$ 40 milhões em 45 multas aplicadas.

Além do desmatamento, os principais registros foram por atividades sem autorização do órgão ambiental, como caça e pesca ilegal, danos a unidades de conservação e uso de fogo sem autorização.

Nos municípios de Lábrea, Apuí e Humaitá se concentram a maioria das ocorrências e das denúncias.

O número de registros e valores das multas é resultado das fiscalizações realizadas em parceria com outros órgãos de proteção ambiental, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e a Polícia Ambiental.

Monitoramento e fiscalização

Além da aplicação das multas, o Ipaam realiza ações de vistoria, controle e programas de regularização ambiental para incentivar o desenvolvimento sustentável no estado.

Como reflexo das atividades de Licenciamento e Fiscalização, o órgão também utiliza dois indicadores, monitorados como parte do controle ambiental, são eles: focos de calor e áreas desmatadas. Esse acompanhamento é feito pela Gerência de Geoprocessamento (GEGEO), com base em dados captados por imagens de satélite disponibilizadas pelo INPE, SIPAM/SIVAM.

O monitoramento dos focos de calor possibilita a atuação preventiva e combativa em relação às queimadas no Estado para evitar o desmatamento.

Ana Patrícia
Ana Patrícia
Jornalista em formação, com experiência em portais e assessoria de imprensa. Apaixonada por ouvir e contar histórias. Pseudo-cinéfila e constante entusiasta de Christopher Nolan e David Fincher.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui