Nem Metaverso nem Twitter, possível retorno do Orkut balança a rede mundial

engenheiro turco de software Orkut Büyükkökten movimenta as redes mundiais com mensagem sugestiva no Orkut. FOTO: Reprodução.

MUNDO – | Nem o Metaverso de Mark Zuckerber nem o Twitter de Elon Musk, o que está balançando a rede mundial nas últimas horas é o possível retorno do Orkut, rede social criada em 2004 e que, durante seus 10 anos de existência foi a mais popular e icônica de sua geração, reunindo mais de 30 milhões de seguidores apenas no Brasil e 300 milhões em todo o mundo.   

O possível retorno está sugerido em uma carta publicada pelo criador do Orkut, engenheiro turco de software Orkut Büyükkökten, no domínio da rede social, reativada na quarta-feira (27) e que traz uma pesada carga de críticas aos discursos de ódio e desinformação que imperam nas redes sociais da atualidade.

“Nossas ferramentas online devem nos servir, não nos dividir. Eles devem proteger nossos dados, não vendê-los. Eles devem nos dar esperança, não medo e ansiedade. A melhor rede social é aquela que enriquece sua vida, mas não a manipula. Eu quero que você seja capaz de ser seu verdadeiro eu, on-line e off-line. Eu quero que você seja capaz de fazer conexões que grudem. Eu quero ajudá-lo a fazer isso com todo o meu coração”, diz.

O Orkut foi a rede social mais icônica e reuniu mais de 300 milhões de usuários. FOTO: Reprodução.

E o desfecho da mensagem não só traz um sentimento de esperança para o mundo, como sugere a possível volta do Orkut.

 “Eu sou uma pessoa otimista. Acredito no poder da conexão para mudar o mundo. Acredito que o mundo é um lugar melhor quando nos conhecemos um pouco mais. É por isso que criei a primeira rede social do mundo quando era estudante de pós-graduação em Stanford. É por isso que eu trouxe o orkut.com para tantos de vocês ao redor do mundo. E é por isso que estou construindo algo novo. Vejo você em breve”, anunciou.

Curiosamente, a reativação do site acontece pouco tempo depois de Elon Musk anunciar a compra do Twitter. Na última segunda-feira (25), a rede social do pássaro aceitou a proposta de US$ 44 bilhões feita pelo bilionário para controle total da plataforma.

Semelhante ao Facebook, o site funcionava contava com página pessoal, com fotos, depoimentos e recados; além das comunidades, onde pessoas com interesses comuns se reuniam. O Google, que comprou a rede social em 2008, anunciou o fim oficial do Orkut em 2014 por questões estratégicas de mercado. Segundo o Nexo, o endereço do site, orkut.com, foi devolvido a Büyükkökten após o fechamento da rede social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui