#GODSAVETHEQUEEN: Morre Elizabeth II, a rainha que viu e fez história por quase um século

Em 2022 a rainha completou 70 anos de reinado. Morreu nesta quinta-feira, aos 96 de idade. FOTO: Reprodução.

MUNDO – Morreu nesta quinta-feira (8), no castelo de Balmoral, em Royal Deeside, Aberdeenshire, Escócia, a rainha Elizabeth II, que reinou por mais de 70 anos, a mais longeva monarca da história britânica. Ela estava na Escócia desde o dia 21 de julho deste ano, já com o quadro de saúde bastante debilitado e sob constantes cuidados médicos. Pouco antes do anúncio oficial de seu falecimento, a família real foi informada do agravamento de sua saúde os agora Rei Charles III e rainha consorte Camila, se dirigiram à Escócia e, logo depois foi confirmado, por meio de nota oficial, o falecimento da rainha.  

De acordo com notícias que estão sendo divulgadas por veículos de comunicação de todo o mundo, haverá 14 dias de luto na Grã-Bretanha, pela morte da rainha, durante os quais serão realizados os serviços funerários estipulados pelo rigoroso protocolo real. O enterro da monarca deverá ocorrer no 10º dias após a sua morte.

Charles já é o novo monarca, sob o nome de Charles III, assim como Camila Parker, a duquesa de Cornualha, é a rainha consorte.  

A morte da rainha também mobilizou a maioria dos governantes, em todo o mundo. Notas oficias e pronunciamentos foram feitos pelos chefes de estado e chefes de governo em quase todos os países. No Brasil foi decretao luto oficial por três dias. O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto Franco de França.

Charlles III é o novo rei e Camila, a rainha consorte. FOTO: Reprodução.

Jubileu – Em 2022, a Rainha Elizabeth II se tornou a primeira monarca da história a comemorar o Jubileu de Platina, marcando 70 anos de reinado. No Reino Unido, ela se tornou a monarca a ocupar o trono por mais tempo, passando a Rainha Vitória, que reinou por 63 anos e 216 dias. No mundo, a rainha ocupava a quarta colocação entre os monarcas com reinados mais longos. Em 2015, Elizabeth se tornou a monarca mais idosa do mundo, após a morte do rei da Arábia Saudita, que tinha 88 anos à época.

Com tantas décadas de reinado, a Rainha Elizabeth viu e viveu diversos fatos históricos. Desde meados do século XX até sua morte, a soberana presenciou e fez parte da história mundial, viu guerras se desenrolarem, ditaduras militantes surgirem e serem terminadas, seis papas assumirem o cargo máximo da Igreja Católica e, mais recentemente, a pandemia de coronavírus que se iniciou em 2020.

Nascida Elizabeth Alexandra Mary, a Rainha Elizabeth II assumiu o comando do Reino Unido e dos Reinos da Comunidade de Nações em 6 de fevereiro de 1952, após a morte de seu pai, o rei Jorge VI. A jovem Elizabeth, então com 25 anos, recebeu a notícia da sua ascensão ao trono britânico durante uma viagem oficial ao Quênia, uma das nações que se tornaram parte da Commonwealth, na qual representava a Coroa.

Antes de assumir o trono como Rainha, Elizabeth iniciou sua vida pública durante a II Guerra Mundial. Em 1943, quando tinha apenas 16 anos, a então princesa Elizabeth, fez sua primeira aparição pública ao visitar o Grenadier Guards, onde tinha sido nomeada coronel no ano anterior.

Em 1945, Elizabeth assumiu o posto como segunda subalterna honorária no Serviço Auxiliar Territorial (STA, em inglês), onde foi treinada como motorista e mecânica. Como comandante júnior, Elizabeth serviu o exército britânico como motorista de ambulâncias e jipes, além de reparar os equipamentos e veículos utilizados pelos soldados ingleses.

O período a serviço do exército parece ter tido um impacto na forma como Elizabeth encarava sua posição na família real inglesa. Em um pronunciamento oficial realizado em 1947 durante sua primeira viagem internacional pelo sul da África no seu aniversário de 21 anos, a então princesa prometeu aos cidadãos do Reino Unido e das nações da Commonwealth que sua vida seria dedicada ao “serviço da nossa grande família imperial, à qual todos nós pertencemos”.

Castelo de Bomoral, onde Elizabeth foi pedida em casamento por Phillips, onde passava férias com a família e onde escolheu morrer. FOTO: Reprodução.

Atentados e invasores no palácio de Buckingham – Durante seu reinado, a Rainha Elizabeth II foi em mais de uma ocasião alvo de atentados contra sua vida. Em 1981, seis tiros foram disparados contra Elizabeth a uma curta distância, enquanto ela cavalgava, por um adolescente de 17 anos. Mais tarde foi descoberto que os tiros eram de festim – ou seja, não eram balas de verdade -, mas o responsável foi sentenciado a cinco anos de prisão e ficou três anos detido.

No mesmo ano, em uma visita à Nova Zelândia, Elizabeth II foi alvo de outro jovem de 17 anos que apontou uma espingarda para a monarca durante um desfile de carros. Os disparos falharam, mas ele foi detido e morreu na prisão em 1997 sem ter sido condenado por traição à Coroa, apesar de ter continuado a planejar ataques à família real.

Em 1982 outro acontecimento preocupou a segurança do palácio de Buckingham: um homem invadiu o quarto da rainha, que só conseguiu acionar o alarme cerca de 10 minutos depois de acordar e encontrar o estranho em seus aposentos. O fato foi mostrado na quarta temporada da série “The Crown”, retratando, de forma fictícia, a conversa que a rainha teve com o invasor antes dos seguranças chegarem ao seu quarto.

No Natal de 2021, um jovem de 19 anos invadiu o Castelo de Windsor portando um arco e flecha e dizendo que iria matar a rainha. A invasão foi considerada de alto risco já que a monarca estava no Castelo para as festividades de fim de ano com sua família. No dia ela estava acompanhada do filho, o príncipe Charles, e da nora Camilla Parker. Por sorte o invasor não chegou a encontrar com Elizabeth II. Capturado, ele foi enviado a um hospital psiquiátrico.

A longevidade da monarca britânica sempre foi tema de brincadeiras entre aqueles que acompanharam seu bem sucedido, porém não livre de polêmicas, reinado. Apesar do tom humorístico em torno de sua longa vida, onde era constantemente especulado que seu filho, o príncipe Charles, morreria antes da mãe e não ascenderia ao trono britânico, Elizabeth II fez sua partida final nesta quinta-feira (8), aos 96 anos, reconhecida como uma força política.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui