ESPECIALISTAS: Número de médicos no Norte é menor do que em outras regiões do país

O número de especialistas para cada mil habitantes, na região Norte, é praticamente o mesmo que o registrado há 20 anos. FOTO: Reprodução.

MANAUS – |O Brasil possui 502.475 médicos, conforme o último levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM), com data de 2020. Apesar do crescimento ocorrido em 20 anos – saindo de 230.110 profissionais em 2000 –, a distribuição de médicos por regiões do país ainda está longe do ideal, principalmente quando se trata de especialistas.

Enquanto a região Sudeste possui uma relação de 3,15 médicos por mil habitantes, no Norte e Nordeste os números são próximos aos de 20 anos atrás. No Norte é de 1,30 por mil habitantes e no Nordeste é de 1,69.

No Amazonas, segundo dados do CFM, existe apenas um especialista em Genética Médica e Medicina de Emergência, três em Medicina Física e Reabilitação, quatro em Medicina Nuclear e seis em Geriatria. O estado é o terceiro com menos cardiologistas no país. Comparado com o Distrito Federal, a quantidade desses especialistas é oito vezes menor no Amazonas. Em relação a psiquiatras, o estado é o segundo no ranking com menos profissionais por mil habitantes.

De acordo com o diretor nacional de Educação Continuada do Instituto de Pós-Graduação em Medicina (Ipemed), André Raeli, essa defasagem de profissionais tem impacto direto no dia a dia da população, que muitas vezes precisa aguardar meses por uma consulta com especialista, ou, se tiver condições, se deslocar para outros estados, para conseguir ser atendido.

Saída é investir na demanda reprimida por formação de especialistas. FOTO: Divulgação.

O diretor ressalta que uma das soluções para reduzir essa defasagem é a formação especializada dos profissionais, na região. Uma demanda reprimida que o Ipemed vai poder atender a partir de agora, com a inauguração em Manaus, no dia 27 deste mês, da 11ª unidade da instituição no Brasil, a primeira da região Norte.

O Ipemed faz parte da Afya, maior grupo de formação e tecnologia médica do país. Além da unidade de pós-graduação em Manaus, o grupo também inaugura neste mês duas faculdades de Medicina – em Manacapuru e Itacoatiara, dobrando a oferta de vagas nessa área, no estado.

O Ipemed possui uma metodologia fundamentada em estudos de caso e atendimento ambulatorial, com oferta de consultas gratuitas para a população. Uma equipe médica realiza a triagem de pacientes que aguardam atendimento especializado no SUS e esse público recebe assistência médica sem custo nas clínicas e salas de aula da instituição. Em todo o país são realizados mais de 3 mil atendimentos, mensalmente, e a meta é chegar a 10 mil por mês, em 2025.

As ações de responsabilidade social são um dos pilares de grande importância para o Ipemed. “Dessa maneira, o médico tem acesso a uma formação muito mais assertiva, com casos reais do dia a dia. Em contrapartida, a população recebe atendimento especializado e de qualidade”, destaca André Raeli.

Ele explica que além de contribuir com a maior oferta de especialistas no mercado, a pós-graduação médica é a solução para um problema que acontece no país inteiro, de escassez de vagas de residência médica frente à alta demanda por especialização. “Formam-se todos os anos dezenas de milhares de médicos que acirram a concorrência por vagas de residência. A pós-graduação, além de capacitar o aluno para a prova de título, aumenta em torno de 30% o valor do salário do médico generalista, permitindo que ele amplie seu leque de atendimento profissional logo depois de formado”, frisou.

Em Manaus, a estrutura que será inaugurada no dia 27 deste mês é uma das mais modernas do grupo Afya, com sete salas de aula, 18 ambulatórios e duas salas de pequenos procedimentos. Ao todo, estão sendo oferecidos 14 cursos de especialização médica. Para saber mais é só entrar em contato pelo (92) 99249-2960 ou no Instagram @posmedica.ipemed.am.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui