Cobertura de esgoto aumentou 76,5%, em Manaus

Investimentos do Prosamin ajudaram a aumentar cobertura de esgoro. FOTO: Tiago Corrêa/UGPE.

MANAUS – | Os investimentos em saneamento básico feitos por meio do Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+), que é executado pela Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) do Governo do Amazonas, ajudaram a aumentar a cobertura de tratamento de esgoto sanitário em Manaus.

Conforme o Ranking do Saneamento 2022 do Instituto Trata Brasil e GO Associados, divulgado recentemente, o Indicador de Atendimento Total de Esgoto de Manaus deu um salto de 76,5% em apenas dois anos, saindo de 12,43%, em 2020, para 21,95%, em 2022.

“A situação atual está longe de ser a ideal, mas mostra que estamos num caminho de recuperação”, afirma o coordenador executivo da UGPE, engenheiro civil Marcellus Campêlo.

Através do Prosamin, em agosto de 2021, o Governo do Estado inaugurou a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Waldir Brito, no bairro Educandos. O investimento foi de R$ 50,9 milhões, sendo 72% oriundos de empréstimo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e 28% a contrapartida direta do Estado.

Conforme Marcellus Campêlo, a primeira ETE construída em quase 15 anos de existência do Prosamin+, é também a maior da região Norte em capacidade de tratamento – 300 litros por segundo – e uma das mais modernas do Brasil, com tecnologia de ponta importada da Noruega.

ETE construído pelo Prosamin+, no bairro de Educandos, FOTO: Tiago Corrêa/UGPE.

A ETE é parte do Sistema de Esgotamento Sanitário do Prosamin+ implantado na bacia do São Raimundo, que contempla, ainda, investimentos de R$ 48,8 milhões na construção de 31 quilômetros de redes de coleta e de seis estações elevatórias, inaugurados em 2020 nos bairros do Santo Antônio, São Raimundo, Glória, Aparecida, Presidente Vargas e Centro.

A partir da conclusão e integração desse sistema e do seu repasse, ano passado, pelo Governo do Amazonas ao Município, que responde pela gestão dos serviços de água e esgoto na cidade, Manaus saltou de 18% para 26% no percentual de esgoto tratado. Aproximadamente 192 mil pessoas passaram a ter esgoto tratado nas zonas sul e oeste de Manaus.

Segundo Marcellus Campêlo, a ETE de Educandos foi um grande avanço para minimizar os impactos ambientais na orla de Manaus. “Após a conclusão das intervenções, 100% da população das áreas de intervenção do programa estão sendo contempladas com coleta e tratamento de esgoto, além da ampliação dos serviços de coleta de resíduos sólidos com a requalificação das vias”, enfatizou.

Interior – O coordenador executivo da UGPE destaca, também, as ações que vêm contribuindo para melhorar a coleta e tratamento de esgoto sanitário no interior, com a meta de universalizar os serviços de saneamento básico. No Brasil, essa meta está estabelecida para ser alcançada em 2033.

Inaugurado em 2019, o Programa de Saneamento Integrado de Maués (ProsaiMaués), semelhante ao Prosamin+ na capital, elevou a cidade à condição de uma das melhores taxas de coleta e tratamento de esgoto do Norte do país, com 50% de cobertura.

Em Maués, foram implantados pelo Estado 13 quilômetros de redes de coleta de esgoto. Outros 18 quilômetros que estavam fora de operação foram recuperados, além da construção de uma moderna ETE, com capacidade para tratar o esgoto de 100% da cidade, de estações elevatórias e sistema de macro e micro drenagem.

“O Prosamin+ e o ProsaiMaués contribuem, de forma histórica, na questão de saneamento básico, aumentando a cobertura de esgoto em Manaus e em Maués”, observa o coordenador, ao afirmar que o próximo município a ser contemplado com rede de esgoto pelo Governo do Amazonas será Parintins. “O governador Wilson Lima anunciou o Prosai Parintins, por meio do qual vamos garantir cobertura de esgoto sanitário para 22% da sede do município”, esclarece.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui