Chuvas acima da média causam transtornos em Manaus e INMET emite alerta de risco laranja

Por Jessika Caldas

A zona sul foi a mais afetada, com índice de 72 mm de chuva em 24 horas

Conforme balanço atualizado da Defesa Civil Municipal, foram registradas 36 ocorrências em Manaus, por conta da chuva que castigou a cidade na última quinta-feira (16/02). Dentre as mais graves estão nove desabamentos de casas, quatro destelhamentos, cinco pontos de alagação, oito residências com risco de desabar e duas situações de risco de deslizamento de terras.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), em 24 horas, choveu o equivalente ao que estava previsto para 07 dias de fevereiro. O instituto emitiu aviso de chuvas intensas com grau de severidade laranja, indicando perigo em várias regiões do estado.

A Defesa Civil constatou que o índice pluviométrico em Manaus variou entre 50mm a 72mm, conforme a região da cidade. A zona sul foi a mais castigada, com índice pluviométrico de 72 mm, semelhante à chuva de primeiro de dezembro do ano passado, que atingiu a marca de 70 mm em 24 horas e também causou vários estragos na cidade.

O meteorologista e consultor climático do INMET, Francisco de Assis Diniz, explica que a chuva é considerada normal quando varia entre 15 mm e 30 mm em 24 horas. A partir de 50 mm é chuva intensa, caracterizando faixa de risco laranja, com emissão de sinais de alerta como aconteceu quinta-feira. A chuva é considerada anormal acima de 100 mm por dia e
anormal algodão ser for mais de 150 mm por dia.

O INMET emitiu instruções para as populações afetadas pelas chuvas no período. Em caso de rajadas de vento, não se abrigar debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda; se possível, desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia; buscar informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Fenômeno brasileiro
As precipitações acima da média no Brasil estão se tornando comuns, desde o final de 2022 e a tendência é continuar em 2023, agravando o período de inverno amazônico que vai de novembro a maio. Isso acontece porque há uma Zona de Convergência Intertropical ativa na costa norte do Brasil, enquanto uma frente fria avança nas regiões Centro-Sul. O encontro de uma frente fria com o ar quente e úmido cria um “alerta laranja”. Significa que há um alto risco de chuvas fortes com grandes consequências para todas as regiões do Brasil, segundo a classificação do INMET.

Ao todo, o INMET usa três cores (amarelo, laranja e vermelho) para determinar a gravidade dos fenômenos climáticos nas regiões brasileiras. O amarelo representa um risco moderado, laranja é alto risco, e por último o vermelho que simboliza um risco muito alto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui