Cella Bártholo lança releituras de canções icônicas brasileiras, começando com “Vapor Barato”, em homenagem à Gal Costa

Com os últimos quatro anos dedicados a espetáculos teatrais e à direção da In Cena Casa de Artes, em Botafogo, no Rio de Janeiro, a cantora e atriz Cella Bártholo retoma a carreira solo na música, apresentando releituras de canções icônicas brasileiras. As canções, que ganham ressignificação numa estética mais atual, farão parte do EP Releituras, que ela lançará em breve, com produção musical de Gabé, dono do coletivo artístico “Secreta”, e teclados de Gabrieu, ganhador do Grammy Latino.

A primeira canção do EP será apresentada nesta sexta-feira (03). Trata-se de uma releitura de “Vapor Barato”, composta por Jards Macalé e Waly Salomão, famosa na interpretação de Gal Costa. Na voz de Cella, a releitura de “Vapor Barato” vai estar disponível a partir de meia noite em todas as plataformas digitais. No mesmo dia, às 20h, o videoclipe será exibido no canal da cantora no youtube – @cellabartholo.

Esta será a primeira de uma série que ela irá lançar. Djavan também está na lista de artistas homenageados. “São releituras de clássicos brasileiros, com um toque moderno e com minha personalidade vocal. Foi um trabalho pensado com muito amor, em homenagem a artistas que me inspiram tanto”, explicou.

Cella conta que fez questão de começar com Gal Costa, como forma de homenageá-la, pela grandiosidade e importância que tem. “Gal é uma inspiração. É divina, maravilhosa. Nós, artistas mulheres brasileiras temos que ser eternamente gratas pelo legado, pela voz e pela força que Gal nos deixou. Essa releitura é uma homenagem com todo sentimento, amor e gratidão”, ressalta.

A canção “Vapor Barato”, diz ela, trata da busca humana por um lugar no mundo, traçando paralelos com o exílio, através da metáfora de um navio. “O exílio não se limita apenas à questão física, fazendo referência a uma situação de pertencimento. O rumo a ser tomado pelo navio é um lugar de pertencimento e não um lugar físico. É uma busca existencial. Assim, faz-se a resistência que caracterizou boa parte da cena musical dos anos 70 no Brasil”, destacou.

Atuação em várias frentes

Cella, hoje com 21 anos, conta que vem atuando em várias frentes – preparando músicas autorais, feats e projetos audiovisuais, mostrando também sua faceta como diretora artística, roteirista e compositora. “É muito importante, pra mim, mostrar minha verdade nesses futuros projetos. Eu cresci, mudei, vivi muita coisa nos últimos anos. Me sinto pronta para respirar fundo e recomeçar na música, mantendo o que já conquistei no teatro, minha outra paixão. Quero ser uma artista que crie movimento constante. Gosto de estar presente em todas as partes do processo, sempre com artistas que admiro por perto”, afirmou.

Ela se lançou nacionalmente em 2017, participando do The Voice Kids, programa da Rede Globo, ainda como Marcella Bártholo, seu nome de batismo. Amazonense, Cella, nome artístico que passou a adotar, se mudou para o Rio de Janeiro em 2019, apostando na formação teatral. Nos palcos cariocas, participou de espetáculos musicais como “Brilha La Luna” e “Cazas de Cazuza”. Além do projeto solo musical, em junho deste ano ela estará também no elenco da nova série da HBO Max, “Use Sua Voz”.

“Passei o último ano estudando, buscando referências e redescobrindo a minha voz. Foi um processo lindo pra mim e acredito que essa paixão vai ser transmitida para todas as músicas, videoclipes, shows e projetos lançados a partir de agora. Estou muito animada e ansiosa pra saber o que o público vai achar dessa nova era”, reforçou.

Olívia de Almeida
Olívia de Almeida
Jornalista com 15 anos de experiência, como repórter de jornal impresso e assessoria de imprensa. Fã de rock and roll e apaixonada por gatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui