Apaixonada por Natal, funcionária pública tem coleção com 133 presépios e página dedicada à data

Aline Martins coleciona presépios há mais de 30 anos. Fotos: Aline Martins

Vanessa Bayma

vanessabayma@canaltres.com.br

MANAUS – | “Sou apaixonada mesmo pelo Natal”. A funcionária pública Aline Martins já inicia a conversa assim, quando conta de sua coleção de 133 presépios que, nessa época do ano, junto com a decoração temática, enfeitam a casa. Mais que uma referência cristã para o nascimento de Jesus, os itens resgatam sua memória afetiva de criança e o amor pela data, refletido em página na internet.

“Quando criança, minha madrinha montava um presépio enorme. E nós, crianças, íamos buscar os galhos e areia para montar”, relata Aline, fazendo referência ao cenário em que se tem a manjedoura onde é colocado o menino Jesus.

Os presépios de Aline são guardados em um baú e em outros locais, com todo cuidado para resistirem ao efeito do tempo. O mais antigo tem 32 anos e é feito de cristal. O mais novo, é presente desse ano, da filha Carol Otília. Chamado “Enquanto Maria Descansa”, o item já havia sido procurado por Aline em todos os lugares, sem sucesso.

Primeiro da coleção foi comprado em Manaus há 32 anos.

Nele, a figura de Maria está dormindo, enquanto o menino Jesus está no colo de José, que cuida dele. “Acho que é o presépio mais atual do mundo. Tempos atrás, a imagem desse cuidado era sempre ligado à mulher. Então, acredito que essa imagem é muito importante nos dias atuais. É lindo”, observou a funcionária pública.

Presépio ‘Enquanto Maria descansa’

Mãe de duas mulheres, eram elas, quando crianças, que colocavam Jesus no presépio, apenas no dia 25 de dezembro. No entanto, quando a coleção passou de 50, ficou mais complicado e assim que começa a arrumação da casa, logo após o Dia dos Finados, em novembro, todos já estão completos.

Além dos presépios, outra tradição da família é a “Cidade do Natal”. Quando os netos do marido de Aline eram menores, ela decorava a casa com alguns itens antigos, com defeito e os reaproveitava usando todo o espaço da casa. A opção era para as crianças menores que adoravam mexer na decoração que pode ser quebrada.

“Eles amavam, porque podiam montar e mexer sem que ninguém pedisse para ter cuidado. Hoje em dia coloco na escada. Se aparecer criança, elas brincam. Ano passado dei alguns itens para uma amiga que já introduziu a história da Cidade de Natal na casa dela”, contou.

Itens mais antigos são reaproveitados em todos os cômodos da casa.

Decoração temática

Para a funcionária pública, o Natal representa uma época em que as pessoas sentem emoções boas e ruins. No entanto, cabe a nós escolher o sentimento para a data. “Eu escolho estar bem, festejar, fazer e dar algo por alguém”, diz ela, que aproveitou esse mês para fazer um almoço natalino, já em comemoração ao casamento da filha caçula, a que lhe deu o mais novo presépio.

Almoço em comemoração ao casamento da filha mais nova, Otília (de preto), com decoração natalina.

Preocupada com todos os detalhes, portanto, a árvore deste ano não poderia ter outro tema: casamento. Nela, tem um casal de noivos, feito no estilo boneca Tilda. Bolas, flores e laços dourados acompanham a decoração. Há também uma guirlanda na parede de casa, com noivinhos, e outro casal numa mesa de apoio com mais presépios e pinheiros.

Entre as árvores de Natal temáticas já feitas, está uma toda de bonecas Tilda. “Fiz 73 bonecas de pano, porque quebrei a perna e fiquei três meses recolhida”, lembra ela. Há também a que foi feita com fotos da família e amigos e também a de presépios, claro.

Noivos são de boneca estilo Tilda

Entre as produções mais ousadas, teve a árvore em tons de cor de rosa, com a casa sendo pintada na mesma tonalidade para acompanhar a decoração. No ano que vem, Aline já está com o tema definido também. Como a outra filha se forma em Medicina, a árvore e o resto da decoração serão com objetos relacionados à profissão.

As ideias são inspirações que ela vê e busca na internet. No Facebook, ela mantém a página “O Natal Existe”, com cerca de 18 mil seguidores. Criada há aproximadamente cinco anos, ela conta que não imaginava que teria tantos seguidores. Nela, vídeos, fotos, artesanato e tudo relacionado à data, tão especial.

“Uma pessoa já me perguntou se eu venderia a página, acho que pelo número de seguidores. Nem sabia que isso existia. Ela faz parte das minhas emoções, mas não são os seguidores que me movem, é o meu amor pelo Natal”, pontua ela, que faz postagens na página durante o ano inteiro e não só na época natalina.

Entre as publicações, estão também mensagens de reflexão, uma vez que no período as pessoas são levadas a ficarem mais emotivas e a repensarem no ano que está acabando, ainda mais depois do início da pandemia.

“A pandemia criou um distanciamento familiar muito grande. Espero que nesse Natal as pessoas, com todos os cuidados e protocolos sanitários, voltem a visitar seus pais, seus parentes mais velhos, e voltem a conviver socialmente, dar afeto. O Natal é um momento de união e confraternização espiritual. Não importa o que se vai comer, beber, receber. O importante é se doar em espírito para o aniversariante, que é Jesus”.

Vanessa Bayma
Vanessa Bayma
Jornalista manauara com experiência de mais de 10 anos em jornal impresso. Passou pelas redações de A Crítica e Manaus Hoje como repórter e editora. Fez parte da assessoria de comunicação da Alfândega da Receita Federal. Gosta de ouvir pessoas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui