Amazonas terá dois novos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia

Os municípios de Manicoré e Santo Antônio do Iça foram escolhidas para receber as novas unidades

0
31

As cidades de Manicoré e Santo Antônio do Içá serão beneficiados pelo novo plano de expansão dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) do Governo Federal, que construirá 100 novos campi em todas as 27 unidades da Federação. Anúncio foi oficializado pelo presidente Lula nesta terça, 12 de março. Em todo o país, 100 novos campi serão construídos. Investimento, dentro do Novo PAC, é de R$ 3,9 bilhões e também prevê melhorias em unidades já existentes

Juntos, esses dois municípios amazonenses somam mais de 82 mil habitantes. As novas unidades serão as primeiras a serem construídas nas localidades. Elas se integram à rede federal que, no estado, conta com 18 IFs, quatro deles em atividade em Manaus.
Outros campi estão distribuídos nas cidades de Boca do Acre, Coari, Eirunepé, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, Lábrea, Manacapuru, Maués, Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Tefé. Os institutos federais são instituições especializadas na educação profissional e tecnológica, oferecendo também educação básica e superior.

Os cursos oferecidos nas unidades são gratuitos. Os institutos têm como obrigatoriedade legal garantir um mínimo de 50% de suas vagas para a oferta de cursos técnicos de nível médio, prioritariamente na forma integrada — ou seja, junto ao ensino médio.

R$ 3,9 BILHÕES — O objetivo da nova expansão da Rede Federal é aumentar a oferta de vagas na educação profissional e tecnológica (EPT), com oportunidades para jovens e adultos, especialmente os mais vulneráveis. O programa cria 140 mil novas vagas, a maioria em cursos técnicos integrados ao ensino médio.

Dos R$ 3,9 bilhões em obras a partir de recursos do Novo PAC, R$ 2,5 bilhões serão aplicados na criação de novos campi e R$ 1,4 bilhão na consolidação de unidades dos IFs já existentes, como a construção de refeitórios estudantis, ginásios, bibliotecas, salas de aula e aquisição de equipamentos.

A construção de novos campi trará impactos positivos para além da educação, com incremento do setor da construção civil e geração de emprego e renda nos municípios beneficiados. As novas escolas, quando estiverem em funcionamento, levarão desenvolvimento local para as cidades contempladas e também em nível regional.

 Foto: Luis Fortes / MEC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui